Ribeirão Preto, terra do café... e da cerveja!

©2018 BY BEBA COMO UMA GAROTA. 

Ribeirão Preto, terra do café... e da cerveja!

July 17, 2019

Ribeirão Preto ficou famosa não só pelo café, mas também por ser conhecida por “terra do chope ”. Graças às cervejarias Paulista e Antárctica (1911) e que mais tarde se fundiram.

 

Foto Arquivo jornal A Cidade ( Ribeirão Preto)

 

 

A choperia Pinguim, existe até hoje, era (é) o cartão postal da cidade e ponto turístico para degustar o famoso e único chope Antárctica.

 

 

Bem, com altos impostos e a falta de interesse da parte responsáveis pela cidade, a fábrica Antárctica/Paulista deixou a cidade onde empregava aproximadamente 1.500 funcionários.

 

Hoje, 2019, a cidade possui tradição cervejeira e está em alta com suas micro cervejarias artesanais em ascensão e expansão. A maioria delas agregada ao próprio Pub onde você pode tanto sentar e beber ou levar seu Growler para casa. Além de envasarem e levarem suas produções Brasil a fora.

 

A cidade vem aderindo aos bares no formato Pub, que além de charmosos e aconchegantes, são sinônimos de boas cervejas. Independente se fabrica ou só revende ou os dois.

 

Um desses Pubs, o “Sem Fronteiras Bar”, sob o comando Beer Sommelier Thiago, possui 24 torneiras de chope dos mais variados estilos e de várias cervejarias, tanto local como de outras cervejarias e está sempre com novidades.

 

 

Mas o que me chamou a atenção foi o Pub oferecer Workshops, como por exemplo harmonização guiada sem nenhum custo. Por aqui (Ribeirão Preto), “volta e meia” tem degustação guiada e afins, mas sempre com um valor de investimento, o que acaba por limitar o público participante.

 

 

Esse ano o Sem Fronteiras já ofereceu duas edições do chamado Beer Talks, onde o primeiro foi de Harmonização com tudo completinho: cervejas e comidinhas e o segundo uma aula básica em cervejas: sua origem, escolas cervejeiras e estilos, também com direito a degustação e análise sensorial guiada. Tudo sem nenhum custo.

 

 

Participei dos dois. Olha aí eu e minha amiga Priscila fazendo pose pós degustação!

 

 

E curiosa para saber o que levou o Thiago a oferecer esses cursos sem cobrar nenhum realzinho, entrei em contato com ele e fiz uma rápida entrevista para saber mais, eis que compartilho com vocês agora:

 

Qual sua relação com as cervejas artesanais?

 

Thiago: Cerveja sempre foi uma paixão. Era o rolê favorito com amigos: sair, sentar no bar e beber cerveja. Pegar e sentar na rua e estender a noite com os amigos pelos 4 cantos de São Paulo, sempre com uma latinha na mão. Com o tempo fui provando cervejas inglesas, como a maravilhosa Newcastle, e as Bitters, em especial a ESB da Fuller's, que virou minha paixão. Daí resolvi fazer cerveja em casa.

 

Há uns dez anos acabei fazendo um curso, comprando todas as Parafernálias para produção e comecei na vida de cervejeiro caseiro. Reunia os amigos e a gente fazia um churrasco enquanto fazíamos cerveja sempre bebendo as cervejas produzidas no churrasco anterior.

 

Em 2017 resolvi largar minha vida em São Paulo. Pedi demissão dos empregos e mudei para Ribeirão Preto com o intuito de abrir um bar. Abri.

 

Por que oferecer workshop com harmonização e degustação sem cobrar?

 

Thiago: Simples. Não se trata de consumo, mas de ensino. Conhecimento é algo que devemos compartilhar com todos, sempre. As cervejas são fornecidas pelas cervejarias e nós entramos com a comida. Entendemos isso como investimento. Temos que entender que um negócio tem que investir em seus clientes, pois eles investem o tempo deles no seu negócio.

 

Como é o acesso a parcerias com cervejarias?

 

Thiago: Nós entramos em contato com as cervejarias e perguntamos se elas têm interesse em participar dos workshops. Quase sempre conseguimos. É interesse deles que o público saiba o que consome para melhor optar na hora de escolher uma cerveja.

 

E sobre a famosa plaquinha:

 

 

Thiago: A plaquinha foi inspirada em uma da Cervejaria Suricato. Sempre tem pessoas querendo cerveja grátis em troca de divulgação. Nada contra, cada um sabe o que quer. Nós não queremos isso. Se for Influencer, legal, seja feliz. Eu sou má influência e sempre estive mais próximos das pessoas desconhecidas, invisíveis e não populares. Acho a vida melhor assim.

 

 

Wellington (Malte Money) e Thiago. Foto: Matheus Urenha

 

Esse é o Thiago, que arrasa nos Beer Talks.

 

Thiago, a esposa Eliza e platéia. Foto: Matheus Urenha

 

 

E não estou falando só do conhecimento que ele transmitiu porque como vocês viram, experiência ele tem muita, mas o modo como ele conduziu foi muito gostoso. Sem nenhuma frescura, usando uma linguagem direta e simples para nos transmitir a técnica também.

 

Em tempos financeiros complicados como o que vivemos hoje, essa iniciativa é muito relevante. Abre a oportunidade a quem tem interesse em cervejas artesanais, mas não pode pagar pelo conhecimento, tornando o segmento mais democrático e acessível, o que na minha opinião é vantagem para todo mundo. É educar, é enxergar lá na frente.

 

Quem sabe “essa moda pega”, não é mesmo?

 

Valeu, Thiago!

 

Sem Fronteiras Bar: Rua Américo Brasiliense nº 1193, Centro, Ribeirão Preto.

Telefone: (16) 3941-3421.

Instagram: @semfronteriasbar

 

 

 

 

 

Please reload

Our Recent Posts

Concurso cervejeiro para mulheres

February 24, 2020

Uma Breve História sobre a Cerveja

February 9, 2020

Mulheres históricas: Jeanne Manford

February 8, 2020

1/1
Please reload

Tags

Please reload