Mas você vai sozinha?
  • Isabella Pinheiro

Mas você vai sozinha?


Aproveitando o mote sobre viagem da Sabrina, também redatora do Beba como uma garota, narrando sua incrível experiência de viajar sozinha por Buenos Aires, lembrei de um livro que li há algum tempo.

Ele se chama: “Mas você vai sozinha?” e a autora é Gaía Passarelli. Sobre a autora, assim como Milly Lacombe que escreveu “O ano que morri em Nova York”, minha última resenha, ambas são colunistas de uma revista muito querida que acompanho há mais de cinco anos, a Revista TPM/ TRIP. Ela merece ser sempre lembrada e divulgada, por apresentar o universo feminino de forma que vai desde assuntos sérios e necessários como legalização do aborto, estupro, a assuntos leves, como entrevistas e fotos de boys and girls interessantíssimos, por assim dizer.

De volta ao livro, a escrita de Gaía é leve, tem uma vibe e uma energia incrível que incentiva as minas a viajarem, sozinhas ou do jeito que preferirem. Conta várias de suas experiências enquanto viajante, inclusive quando era VJ da MTV (RIP, entendedoras entenderão).

Além da escrita, que é intensa e simples, no livro há recomendação de músicas escolhidas pela autora que representam os momentos/viagens narrados. Somado a isso tudo, as imagens do livro são lindas, o layout é super criativo, através de desenhos que representam os momentos vividos por Gaía em suas viagens.

Assim, “Mas você vai sozinha?” é uma espécie de autobiografia focada em viagens e narrada de forma nada clichê, porque realmente, ouvir David Bowie enquanto lê um dos capítulos foi uma experiência para guardar em um potinho no fundo do coração.

O sentimento que fica é que podemos sim ir para o mundo, mesmo que ele se demonstre tão hostil. O ato de ir ali (aquele ali bem mineirês) é resistência pura quando se trata de nós, mulheres, meninas, garotas.


37 visualizações

©2018 BY BEBA COMO UMA GAROTA.